sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Ventos de mudança


Como a vida dá voltas! E não é que desta virou mesmo para o lado certo? Bem, a palavra-chave de todo este assunto é Zurique, e é por isso que as peripécias vão mudar de cidade. Mas vamos começar pelo início (e não pelo fim :P ) para que vocês, queridos amigos, (e eu) possam entender todo este assunto da mudança.
Quando tomei a ponderada decisão de ser Au pair, o objectivo era passar algum tempo a fazer algo que gostasse, e que isso me permitisse procurar um emprego a sério, na minha área, fora de Portugal e com segurança. Sim, porque ir para o estrangeiro "com uma mão à frente e outra atrás" nunca é boa ideia. Adiante, queria (ou queríamos, porque convém salientar que durante todo este tempo tive ao meu lado a melhor pessoa do mundo, e que sem ela nada disto seria possível) ir para um país com boa qualidade de vida e de trabalho, bons salários e um clima não muito quente. Utopia? Não: Noruega, Suécia ou Suíça. E Chevry foi a melhor proposta que apareceu num espaço de três meses de procura. Ficava junto à fronteira, numa localização economicamente estratégica, devido à possibilidade de trabalhar do lado suíço e viver do lado francês, muito mais barato.
Confesso que nos primeiros meses relaxei um pouco, tinha acabado de chegar e a região era tão maravilhosa que não queria logo ter de partir. Por isso a minha procura por emprego não foi muito vasta (nada, vá...). Mas, como disse há uns dias a minha amiga do coração Ritta no seu País dos Sonhos, a necessidade de estímulo intelectual (e não só) começou a pesar e, numa noite de Domingo em Novembro, decidi enviar uns cv's. Na Segunda de manhã recebi a minha primeira (e única) resposta positiva. Fui a uma entrevista na semana a seguir e, quase sem dar por isso, tornei-me na nova Assistente de Comércio Internacional da Bureau Veritas Suisse. E depois disto não haverá muito mais a dizer: excelentes condições, bom salário, grandes hipóteses de progressão na carreira e várias viagens de trabalho pela Europa. Ora, considerando a actual conjuntura da empregabilidade em Portugal e o facto de eu não querer passar o resto da vida como employée de maison, aceitei quase de imediato. Rápidos, eficazes e correctos como quase só os Suíços são, trataram logo de me enviar para Portugal o contrato, que já está bem assinado e devolvido para começar a trabalhar em Janeiro.
E pronto, aqui estou eu a escrever esta mensagem na sala comum de um hotel em Lausanne (CH), onde estou hospedada para uma formação de dois dias. Mas isso é peripécia para o próximo episódio!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Novidades

... ou não.
Em época natalícia, o peripécias anda um pouqinho em baixo de forma (e eu sem tempo nem para me coçar!), mas novidades para contar não faltam. Por agora deixo-vos apenas uma luz: O peripécias vai deixar de ser de Chevry para ser de Zurique.
Boas festas!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

E mais neve!

Neva há quatro dias seguidos sem parar e está a revelar-se uma experiência brutal em vários sentidos! Conduzir na neve: É algo situado entre o cómico e o perigoso, porque mesmo com os pneus especiais, os vários centímetros que se têm acumulado fazem a circulação tornar-se um verdadeiro horror. E se nos rimos equanto passeamos calmamente pelas estradas campestres, já no centro da cidade a conversa é outra, o trânsito fica caótico e os nervos em franja.
Mas tudo vale a pena perante a magnitude e a beleza das paisagens, dos passeios, dos carros e das pessoas, tudo sarapintado de branco!
Deixo aqui umas fotos que tirei no outro dia de manhã.





domingo, 14 de novembro de 2010

Neve!

E assim foi o primeiro nevão a sério da minha vida.
Subimos ao Col de La Faucille outra vez e nevava que se fartava. Levámos trenós e outros apetrechos para fazer o dito sku e levámos os miúdos também. Foi uma tarde memorável e para repetir!
É uma pena que as fotos não façam justiça à magnitude da coisa, mas fica também um vídeosinho de qualidade mega profissional para perceberem do que estou a falar!

O tradicional (ou não) boneco de neve. O Adam teve a ideia do chapéu, e isto, eu nunca tinha visto!


E o anjo de neve que aprendi que se podia fazer a jogar os Sims 2


Depois de uma descida com a Sophia


E o que nevava! Vejam no vídeo:


video

Escusado será dizer que foi mesmo muito giro, e pelo que se espera, virão muitos mais dias assim. Supostamente iremos aprender a fazer ski, at least we hope so!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Cours de l'Allondon e o frio de rachar!

Foi já há alguns dias que fomos dar uma caminhada ao Cours de L'Allondon, e ficámos maravilhados. Um lugar lindíssimo, com verde a perder de vista. Fica na clareira de uma das muitas florestas da cadeia dos Jura e quando, depois de um nevão, a neve derrete, o leito do rio enche e forma-se aqui uma enorme cascata. Foi com muita pena que me vim embora sem a ver, pois ainda não tinha nevado.



E por falar em nevar, eis que temos acordado assim, com esta vista magnífica! (Rita Farinha, se tivesses vindo uns diasitos mais tarde...)


E quem me conhece já pode adivinhar, que como não poderia deixar de ser, lá arrastei o Roger até as montanhas para brincar na neve. E não é que foi uma tarde mesmo bem passada? Estava um frio de rachar, e ainda bem, porque a neve manteve-se e tivemos a oportunidade de experimentar o aclamado "Sku" (atenção: recomendado apenas a profissionais!)




domingo, 17 de outubro de 2010

Parabéns oh Jonas!


Um post que nada tem a ver com a minha estadia em Chevry, ou se calhar até tem, porque se não estivesse aqui, estaria aí desse lado a expressar a minha felicidade e orgulho pelo que conquistaste.
Mesmo assim, não poderia deixar de manifestar, através de todos os meios que me permitem, que estou mesmo mesmo feliz por ti, perdida de orgulho, e super optimista. Conheço o teu potencial e sei que ainda tens muito para mostrar.

This is a lifetime shot. Enjoy it!

Apenas uma nota para os que por aqui passarem: Não deixem de ver o João na Operação Triunfo 2010, todos os Sábados pelas 22:30 na RTP 1. E apoiem, sempre que possível, esta participação :)

Adiram ao frupo do FB e divulguem pelos vossos contactos : http://www.facebook.com/home.php?sk=group_151979934843343

Thank you all **

sábado, 16 de outubro de 2010

Cenas


Ontem aconteceu uma peripécia que jamais eu esperaria, mesmo que fosse nos confins do mundo.
De manhã, quitei-me com as minhas botas ultra-resistentes a condições climatéricas adversas, e lá fui eu fazer compras ao carrefour. Quando entro, eis que dispara o alarme. Até aqui tudo normal. O senhor segurança verifica a minha mala, o meu casaco, as minhas botas... sim, o alarme estava nas botas. Ok, aqui eu pensei que ele me ia deixar seguir, porque eu não estava a roubar nada. Mas não. Começa para lá a mandar bitaites e às tantas eu lá percebo o que ele me estava a tentar dizer: Eu tinha de tirar as botas, entregar-lhas para desmagnetizar e ficar ali, no meio de um supermercado lotado, descalça. Eu percebi muito bem o que ele queria, mas como me recusei a acreditar em tal palermice, fiz-me de despercebida, qual estrangeira que de francês não percebe nada "Pardon, je ne comprends pas...". Vai na volta, o senhor farta-se de me tentar explicar e toca de me tirar as botas pelos próprios meios. E assim foi, eu não pude evitar. Lá tive que tirar as botas e ficar ali, de meias coloridas, com uma cambada de avecs a olhar para mim como se eu de um espécime raro de uma companhia de circo me tratasse. Foi giro. Mas era mesmo preciso?

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Flash-weekend: Paris!

Na Quinta-feira que passou recebemos a agradável visita da minha queridíssima Rita Farinha, para passar uns diazitos connosco.
Foi então que tivemos (eu e o meu fantástico cérebro) a primeira ideia maluca da temporada: Vamos fazer 500 km e vamos passear a Paris! E depois do choque inicial, a ideia ganhou terreno e no Sábado de madrugada lá fomos nós. A viagem para lá deveria ter demorado pouco mais de 5 horas, mas claro está com as paragens para combustível, chi-chis, cafésinhos, e lanchinhos, demoramos umas boas 7 horas (ou mais, já que encontrámos o típico tráfego da metrópole logo à chegada).
O hotel era bem riquinho, apesar o quarto ser minúsculo e de termos recebido a visita do primeiro amigo aracnídeo da jornada. Era de tal modo confortável que o Roger, que por aquelas horas já chocava uma gripesita com direito a febre e tudo, resolveu ficar a tirar uma sesta. Enquanto isso, eu e a Rita fomos passear. Destino: Arco do Triunfo para almoçar no amigo McDonalds. O mais engraçado, é que não conseguíamos encontrar a estação de metro, pelo que resolvemos perguntar. E não é que a primeira pessoa habitante em Paris que abordamos é uma simpática rapariga portuguesa!? Foi super-prestável e fartámo-nos de socializar. Só não perguntei foi nome dela.


Depois de uma curta caminhada na Avenida dos Champs Élysées, partimos rumo ao ex libris da cidade, cujo nome não caresse de ser pronunciado. Aqui, fomos abordadas por inúmeros personagens que tentam a todo o custo vender qualquer coisa, e que nos tomaram sempre por italianas, vá-se lá saber porquê. De entre os muitos (passando a usar a expressão dos senhores do Canzilis) pokémons, tivemos uma experiência particularmente negativa com dois em especial: Abordam-nos simpáticamente pedindo apenas para fazer uma demonstração. Ao que eu respondo no meu discurso automático: No, thank you. Se pensam que a peripécia ficou por aqui, enganam-se! Eles não só insistiram, como continuaram atrás de nós a chatear e a dizer que era grátis. Por fim eu lá disse: Ok then, but I will not pay for this. Com vinte (e não três) dedos de conversa lá fizeram o raio da demonstração, que era uma pulseirasita manhosa, sempre perguntando se tínhamos vindo acompanhadas (claro!!) e tecendo "elogios" (pensavam eles) como por exemplo insinuar que a Rita teria os seus 17/18 aninhos. Bem... findo o paleio e a demostração: muito obrigado, agora dêem só o que quiserem, mas pelo menos 5 €! AHAH!! Era o que me dava a vida agora ainda ter de lhes pagar. Lá lhes dei uns centimositos mas os gajos não estava satisfeitos. Lá tive de berrar com eles, dizer para me tirarem o raio do cordão do pulso que eu sabia bem onde é que eles o deviam de meter! E por causa deles penaram todos os outros marroquinos que se seguiram, que mal se me dirigiam levavam logo com uma resposta torta e umas trombas de metro. Gatunos.


De resto, todo o passeio correu às mil maravilhas (esquecendo uma ou outra peripécia ou desencontro...) No Domingo lá fomos (re)ver os restantes pontos turísticos da cidade. Caminhámos com'ó caraças mas vale sempre a pena. Deixo-vos um cheirinho, para quem ainda não conhece.


Louvre

Planos para o dia seguinte

 Notre Damme (?)

Montmartre

Moulin Rouge (lá no cantinho)

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Muséum d'histoire naturelle de la Ville de Genève









No passado fim-de-semana, os meus queridos primos de Genève tiveram a óptima ideia de visitar este lugar.
É bastante interessante, só é pena os animais serem todos embalsamados. Estas fotos foram tiradas no Muséum d'histoire naturelle de la Ville de Genève, que tem três andares com milhões de diferentes espécies de animais. O museu é mais conhecido pelo seu peculiar e único habitante vivo: uma tartaruga de 10 anos, que tem nada mais, nada menos so que duas cabeças. Chama-se Janus, e podem saber mais sobre ela aqui. Infelizmente não consegui fotos, porque ela não se quis virar para mim :(

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Geneve - o passeio dos emigras :)

Os "emigras" foram passear a Genève no passado fim-de-semana e gostaram bastante. Ficam algumas das fotos:






Enquanto procurámos uma praia, que afinal é apenas um amontoado de pedras à beira do Léman...









Fomos acidentalmente parar ao âmago de um concurso de vela.












Primeira vista do Lac Léman, o maior da Europa, mesmo no centro de Genève.











Uma coisa muito estranha. Fez-me mesmo lembrar este filme. Basicamente era um homem, em maiot tigresse, a bailar de patins em plenas ruas de Gen-éve. Curioso... É que ele era mesmo um profissional da coisa!










Lac Lèman.
Vista da ponte.










O melhor de tudo: a paisagem campestre de Chevry. Até se respira melhor quando, de manhã, abrimos a janela e nos deparamos com tanto verde!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

It's party time at Tuwebti's!

We were just celebrating Nuri's birthday. It was a very pleasent french apéritif with the neighbours.
They are all very nice, by the way. The house was also full of children.
What a wonderful evening!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Singing in the rain!


Não é este tempo maravilhoso? Céu nublado, chuva, nevoeiro, frio... Finalmente resolveram vir visitar-me a Chevry, e eu não poderia estar mais feliz! Hoje demorei mais do que é habitual ao pequeno-almoço. Quis apreciar a paisagem tempestuosa e as nuvens que cobriam as montanhas. E choveu todo o dia, o que foi ainda melhor. Mal posso esperar pela neve no Inverno!
E esta é a vista da janela da cozinha, que me faz companhia todas as manhãs.



segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Dados Rotineiros

Ok... hoje começou a correria a sério:

8:30 - Levar os patusquinhos à escola
10:30 - Começar a pensar no almoço
11:00 - Preparar o almoço
11:30 - Ir buscar os patusquinhos à escola
12:30 - Álimentá-los
13:30 - Ir levá-los à escola
16:30 - Ir buscá-los novamente
17:00 - Lanche
17:15 - Ajudar nos trabalhos de casa
18:00 - Aula de Piano da Sophia

Hoje o meu dia foi assim. Amanhã não há piano, mas há rugby, e depois pony club, e atletismo e ténis, e escola de línguas. E lá mais para o Inverno, ski club. Vou ter de colocar um grande calendário na parede para me orientar com todas estas actividades. No meu tempo, íamos à música, ao ensaio do rancho (para a Rita M, hehe) ou jogava-se futebol. Aos Sábados tínhamos catequese ou escuteiros. E já era demais! :) Aqui todos os míudos têm pelo menos uma actividade musical, um desporto individual e um colectivo. Mais a escola e o club de ski no Inverno.
Estou dividida entre a opinião de que isto é saudável e a ideia de que são ocupações a mais para uma criança.
Bem, opiniões à parte, vou ter de dar ao pedal, caso contrário não consigo acompanhar esta rotina. Vale-me que eles se deitam às 7h da noite e tenho sempre este bocadinho para mim :)

domingo, 5 de setembro de 2010

sábado, 4 de setembro de 2010

Primeiro fim-de-semana

Este é o meu primeiro fim-de-semana livre aqui e sabe bem não ter nada para fazer. Podia ocupar-me com 1001 lazeres, mas apetece-me estar em casa e apreciar o sossego da paisagem com uma chávena de Earl Grey por companhia. Também dei umas braçadas da piscina quentinha, e dei um passeio durante a manhã. É verdade que sou uma lontra de sofá, mas confesso que este clima agradável e o ar tão límpido daqui incentivam a actividades no exterior.

Ainda não falei dos meus pestinhas.
O Adam tem 6 anos e é o verdadeiro reguila. Tem uma personalidade forte e é muito inteligente - sabe testar as pessoas. Mais do que qualquer outro miúdo, tem pilhas duracell, e exige muita atenção. E mimos.
A Sophia é uma menina de 8 anos, que como qualquer outra, adora cavalos. Toca piano e aprecia o sossego, de preferência com o Adam a milhas de distância.
São os dois hiper-energéticos mas obedientes e carinhosos. Ficam felizes com a minha companhia, e isso deixa-me feliz também.

BTW, conheci uma família lusodescendente (mãe portuguesa/pai francês) que me querem como professora de português das crianças. Mal posso esperar :)

1789 km


foi quanto andámos até chegar aqui. Foi uma viagem dura por tortuosos caminhos apinhados de tráfego, turistas e camionistas. Mas chegámos. E valeu a pena.
Chevry é uma pequena village localizada  na região de Rhône-Alpes e perto da fronteira com a Suiça, a 15 minutos de Geneve.
Tem 1170 habitantes, e é bastante internacional com ingleses, americanos, holandeses e até mesmo portugueses por toda a parte.
É um cenário de montanha, extremamente verde e bonito, rodeado pelas montanhas dos Alpes Franceses. Sem dúvida, um lugar que vale a pena visitar.


Arrivée


Cheguei a Chevry, há alguns dias mas já me sinto em casa.
Seguindo a moda dos blogues, e também porque adoro ler os das minhas caríssimas lá pelos orientes, decidi também eu registar na blogosfera os meus primeiros momentos aqui pelas franças. Espero também que isto me sirva de livro de memórias para quando, daqui a alguns anos, nos reunirmos de novo à volta da mesa, contarmos as nossas peripécias sem nos esquecermos de nada.
Vim para cá como aupair, que é como quem diz, uma nanny dos tempos modernos, por isso, peripécias não irão faltar.
Até breve!